#

  :: Pagina Inicial
  :: Acesso Email
  :: Histórico
  :: Notícias
  :: Videos YOUTUBE
  :: Contato
  :: CONSULTA DE CEP
  :: CONSULTA DE CNH
  :: CONSULTA DE CPF
  :: DETRAN IPVA / MULTAS
  :: HORÓSCOPO
  :: LOTERIAS
 
CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 18/01/2019

Enem 2018: número de redações nota mil volta a crescer, e cai o número de notas zero

 

Apenas 55 alunos tiraram nota mil na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018, de acordo com anúncio feito nesta sexta-feira (18) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep). O número representa um aumento em relação a 2017, que teve 53 notas máximas. No total, o Inep diz que corrigiu 4.122.423 provas de redação na aplicação regular do Enem, que aconteceu nos dias 4 e 11 de novembro. Os dados, portanto, não incluem as provas do Enem PPL, aplicado para pessoas privadas de liberdade.

Além do leve aumento no número de notas mil, o Enem 2018 teve uma grande queda no número de participantes que tiveram a redação zerada. Segundo o Inep, "os principais motivos para nota zero no Enem 2018 foram: redações em branco (1,12%), fuga ao tema (0,77%) e cópia do texto motivador (0,36%)". Em 2017, 5% dos participantes, o maior percentual, zeraram a prova por fuga ao tema. (Fonte: Portal G1)

 


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 17/01/2019

Saúde alerta para picadas de escorpião, mais comuns no verão

 

O período do verão – entre dezembro e março – exige maior cuidado dos brasileiros em relação aos acidentes com escorpiões, já que o clima úmido e quente é considerado ideal para o aparecimento desse tipo de animal peçonhento, que se abriga em esgotos e entulhos. A limpeza do ambiente e a adoção de hábitos simples, de acordo com o Ministério da Saúde, são fundamentais para prevenir picadas.

No ambiente urbano, a orientação para evitar a entrada de escorpiões em casas e apartamentos é usar telas em ralos de chão, pias e tanques, além de vedar frestas nas paredes e colocar soleiras nas portas. Os cuidados incluem ainda afastar camas e berços das paredes e vistoriar roupas e calçados antes de usá-los. Já em áreas externas, a principal dica é manter jardins e quintais livres de entulhos, folhas secas e lixo doméstico.O Ministério da Saúde não recomenda o uso de produtos químicos como pesticidas para o controle de escorpiões.

 

Também é importante manter todo o lixo da residência em sacos plásticos bem fechados para evitar baratas, que servem de alimento e, portanto, atraem os escorpiões. Outra recomendação é manter o gramado sempre aparado, não colocar a mão em buracos, embaixo de pedras ou em troncos apodrecidos e usar luvas e botas de raspas de couro na hora de manusear entulhos e materiais de construção e em atividades de jardinagem.

Dados do Ministério da Saúde mostram que, em 2018, foram contabilizados 141,4 mil casos de acidentes com escorpiões no Brasil. Em 2017, foram 125 mil registros. Os números, de acordo com a pasta, ainda são preliminares e serão revisados. Em 2016, foram 91,7 mil notificações. Em relação às mortes, 115 óbitos foram registrados em 2016 e 88 em 2017. (Fonte: Agência Brasil)


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 17/01/2019

Benefícios do INSS acima do salário mínimo terão reajuste de 3,43%

 

Os segurados da Previdência que recebem acima do salário mínimo terão seus benefícios reajustados em 3,43%, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

O índice foi oficializado por meio de portaria do Ministério da Economia, publicada quarta (16) no Diário Oficial da União (DOU). O reajuste é retroativo a 1º de janeiro de 2019.

O teto dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) passa a ser de R$ 5.839,45 (antes era de R$ 5.645,80). As faixas de contribuição ao INSS (Instituto do Seguro Social) dos trabalhadores empregados, domésticos e trabalhadores avulsos também foram atualizadas.

O INSS informou que as alíquotas são de 8% para aqueles que ganham até R$ 1.751,81; de 9% para quem ganha entre R$ 1.751,82 e R$ 2.919,72; e de 11% para os que ganham entre R$ 2.919,73 e R$ 5.839,45. Essas alíquotas, relativas aos salários de janeiro, deverão ser recolhidas apenas em fevereiro, uma vez que, em janeiro, os segurados pagam a contribuição referente ao mês anterior.

Valores definidos

O piso previdenciário, valor mínimo dos benefícios do INSS (aposentadoria, auxílio-doença, pensão por morte) e das aposentadorias dos aeronautas, será de R$ 998,00. O piso é igual ao novo salário mínimo nacional, fixado em R$ 998 por mês em 2019.

Para aqueles que recebem a pensão especial devida às vítimas da síndrome da talidomida, o valor sobe para R$ 1.125,17, a partir de 1º de janeiro de 2019.

No auxílio-reclusão, benefício pago a dependentes de segurados presos em regime fechado ou semiaberto, o salário de contribuição terá como limite R$ 1.364,43.

O Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social - destinado a idosos e a pessoas com deficiência em situação de extrema pobreza -, a renda mensal vitalícia e as pensões especiais para dependentes das vítimas de hemodiálise da cidade de Caruaru (PE) também sobem para R$ 998,00. Já o benefício pago a seringueiros e a seus dependentes, com base na Lei nº 7.986/89, passa a valer R$ 1.996,00.

A cota do salário-família passa a ser de R$ 46,54 para o segurado com remuneração mensal não superior a R$ 907,77, e de R$ 32,80 para quem tem remuneração mensal superior a R$ 907,77 e inferior ou igual a R$ 1.364,43. (Fonte: Agência Brasil)

 


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 15/01/2019

CEF e BB começam a pagar abono salarial do PIS/Pasep

 

Caixa Econômica Federal começou a pagar nesta terça-feira, 15, o abono salarial do PIS a nascidos nos meses de janeiro e fevereiro que possuem conta na instituição. Já o Banco do Brasil faz o pagamento do abono do Pasep a trabalhadores com número final de inscrição 5. Para quem não tem conta nesses bancos, o benefício será pago a partir de quinta-feira, 17. 

O valor do abono varia 84 a 998 reais, dependendo do número de meses trabalhados em 2017, ano-base do calendário de pagamento vigente. Assim, quem esteve empregado o ano todo recebe o valor cheio, equivalente a um salário mínimo (998 reais). Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo, que é de 1/12 do salário mínimo, e assim sucessivamente.

Para os nascidos em janeiro e fevereiro, a Caixa vai liberar 2,5 bilhões de reais a 3,5 milhões de beneficiários com direito ao PIS. Para quem tem direito ao abono do Pasep, o BB vai disponibilizar 1,7 bilhão de reais para 2 milhões de trabalhadores. O dinheiro pode ser sacado até 28 de junho para todos os beneficiários, independentemente da data de nascimento ou número de inscrição no serviço público. Depois desta data, os recursos são transferidos ao Fundo de Amparo ao Trabalhador.

O abono salarial é pago a trabalhadores inscritos no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos que tiveram registro em carteira naquele ano por ao menos 30 dias, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos. É preciso que seus dados tenham sido informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais). (Fonte: Veja On-Line)

 


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 14/01/2019

Confira os mitos e verdades sobre o mosquito da dengue

 

Nesta época do ano, a preocupação com a dengue aumenta, assim como os
casos da doença. Para educar a população sobre como combater o mosquito
Aedes aegypti, que transmite também zika e chikungunya, a exposição
Planeta Inseto, do Museu do Instituto Biológico, em São Paulo, tem uma
parte toda dedicada aos mitos e verdades sobre a transmissão da dengue.

Abaixo, você aprende o que é mito e o que é verdade sobre um dos maiores
vilões do verão brasileiro:

Verdade:
- O risco de manifestar as formas graves da doença aumenta após a
primeira infecção, mas uma parte tem a ver com a resposta imune de cada
pessoa.
- Água sanitária em ralos é eficiente, desde que seja usada em
quantidade adequada, de duas a três vezes por semana.
- Os ovos do mosquito podem ficar meses no seco e eclodir quando
entrarem em contato com água. Eles podem ficar até 18 meses “em espera”,
por isso é comum passar o Inverno com menos ou sem casos de dengue, com
aumento de registros na época das chuvas.
- Usar meias claras e grossas protege contra picadas do mosquito. Ele
tem preferência por superfícies escuras para pousar e é atraído pelo
calor, por isso teria preferência por tecidos escuros.
- O mosquito só pica em um raio de até 100 metros de onde nasceu. Se
ele encontra as condições necessárias no local onde nasceu, não vai para
outros locais. Porém, pode eventualmente entrar em veículos e
elevadores, por exemplo, para se movimentar.
- Na cidade, bromélias são criadouros do mosquito da dengue. Isso não
acontece com bromélias que estão nas matas.
- A exposição crônica do mosquito a inseticidas seleciona mosquitos
mais resistentes a venenos a cada ano.

Mito:
- O mosquito só procria em água limpa.
- O mosquito vive apenas 24 horas.
- Crianças e jovens são mais suscetíveis à doença.
- Borra de café afasta o mosquito. (Fonte: Planeta Inseto)


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 10/01/2019

Lavar os alimentos da maneira certa pode resultar em uma alimentação mais saudável

 

 

A nutricionista Karen Alves explica que há apenas uma forma de lavar os alimentos: “existe uma única maneira de higienização das frutas, sendo essa em imersão de hipoclorito e retirada do produto com água corrente. O que demanda a diferenciação é apenas o tempo em que devem ficar de molho. Cada marca de hipoclorito trabalha com um tempo de imersão, que deve ser respeitado para uma eficácia adequada da substância”, explica.

E se você já está coçando a cabeça, preocupado onde encontrar o tal hipoclorito, pode ficar tranquilo, pois ele é mais conhecido como água sanitária. Só é preciso ficar atento a algumas questões: deve estar sinalizado na embalagem do produto que é próprio para o uso em alimentos, além de estar registrado junto ao Ministério da Saúde. “É um composto alvejante à base de cloro e, com ele, é possível remover insetos, sujidades e demais matérias presas aos alimentos. O que irá determinar sua ação será a quantidade adequada de uso no momento da diluição. Algumas frutas, por exemplo, como pêssego, ameixa, kiwi, morango e nectarina são mais sensíveis e, portanto, demandam menor quantidade para que não haja deterioração”, destaca Karen.

Além de lavarmos os alimentos da forma correta dentro de casa, também precisamos nos preocupar com o que estamos ingerindo na rua e no escritório, já que a maior causa das intoxicações alimentares é a má higienização dos alimentos.

O procedimento de higienização é o seguinte:

  • Seleção das melhores frutas, aquelas que não se encontram com partes deterioradas;
  • Imersão em água com hipoclorito, respeitando o tempo de imersão de 10 a 15 minutos;
  • Higienização em água corrente para retirada da solução clorada;
  • Processo de secagem natural, em sala refrigerada. (Fonte: marina@markable.com.br)


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 9/01/2019

Mortes por acidentes em estradas paulistas caem 5,86%

 

O número de pessoas que morreram em acidentes nas rodovias estaduais de São Paulo em 2018 caiu 5,86% na comparação com 2017. Segundo a Polícia Militar Rodoviária, 1.655 pessoas morreram nas rodovias paulistas em 2018, 103 casos a menos que no ano anterior.
 
O total de acidentes também recuou, passando de 64.972 casos em 2017 para 56.364 ocorrências no ano seguinte, o que representou queda de 13,25%.
 
Para a Polícia Militar Rodoviária, a fiscalização foi intensificada em 2018, observando principalmente o uso obrigatório do cinto de segurança e controlando o excesso de velocidade, além de autuar motoristas que dirigem embriagados.
 
A Polícia Militar Rodoviária informou ainda que fiscalizou mais de 1,8 milhão de veículos.

Mais de 1,7 milhão de autos de infração foram lavrados e 24.405 motoristas foram autuados dirigindo sob efeito de álcool ou substâncias análogas. (Fonte: Agência Brasil)


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 8/01/2019

Vacina contra febre reumática pode mudar o tratamento de doenças autoimunes

 

A febre reumática já foi alvo de preocupação latente no Brasil. Era considerada uma das doenças mais importantes no país, cerca de uma década atrás, tanto por causa de sua incidência como por conta do gasto que representava para o sistema público de saúde.

Hoje, ela voltou para a agenda dos médicos e da indústria, mas por um bom motivo: uma nova vacina pode mudar o curso da doença no Brasil e no mundo.

Decorrente de reações autoimunes desencadeadas por um tipo específico de faringite, a estreptocócica, a febre reumática atinge, em geral, crianças e adolescentes suscetíveis, por predisposição genética, à bactéria Streptococcus pyogenes.

A doença se manifesta, geralmente, de duas a quatro semanas depois de contraída a faringite. Além da febre, que pode ou não ocorrer, ela provoca movimentos involuntários, dores nas articulações e indisposição. E, quando não tratada, acomete o miocárdio, podendo causar danos permanentes às válvulas do coração.

Um dos problemas de desenvolver esse tipo de valvopatia é que ela avança em silêncio. “A pessoa pode levar uma rotina normal, fazer exercícios e viver sem saber que tem a complicação. Mas, quando chega ao hospital, apresenta indícios de doença no músculo, com sintomas de insuficiência cardíaca”, explica Flavio Tarasoutchi – Diretor da Unidade de Valvopatias do Instituto do Coração desde 2014.

A incidência da doença preocupa os cardiologistas. A prevalência de novos casos de febre reumática chega a 30.000 por ano no Brasil. E metade, aproximadamente, desenvolve a lesão nas válvulas. A doença é a causa principal de cardiopatias na região sul-americana.

No mundo, são 16 milhões de indivíduos que convivem com DRCs (Doenças Reumáticas Cardíacas), dos quais aproximadamente 2 milhões têm doenças invasivas graves causadas por estreptococcias.

É, por isso, muito alentador o desenvolvimento da vacina brasileira contra a bactéria S. pyogenes. Além de ser uma possibilidade para a redução expressiva do número de novos casos de DRCs e melhora na qualidade de vida de milhares de crianças e jovens, representa um potencial tratamento para outras doenças autoimunes.

“Somos, hoje, o país que, provavelmente, mais contribuiu para o conhecimento da febre reumática”, diz Luiza Guilherme, pesquisadora do Laboratório de Imunologia do InCor e responsável pelo grupo de estudos em autoimunidade na Febre Reumática, que desenvolve a vacina contra o estreptococo pyogenes, um trabalho iniciado há mais de 20 anos. “A partir desse know-how, fomos buscar formas de prevenir a doença”.

Com uma equipe multiprofissional de médicos, biólogos e veterinários, o grupo de Guilherme conseguiu trabalhar em uma vacina que está pronta do ponto de vista científico.

Falta, agora, passar pelos ensaios clínicos com humanos – um processo que está a caminho. “E se conseguirmos fazer da vacina uma medida eficaz, ela poderá se tornar um modelo para o desenvolvimento de vacina para outras doenças autoimunes”, diz a pesquisadora. (Fonte: Incor/SP)


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 7/01/2019

MEC visitará 200 instituições denunciadas por irregularidades

 

O Ministério da Educação (MEC) planeja fazer 200 visitas especiais a instituições de ensino superior para avaliar a qualidade dos cursos ofertados e das próprias instituições. As visitas devem ocorrer este ano.

As inspeções ocorrerão devido a denúncias que o ministério recebeu de irregularidades nesses locais.

São irregularidades na oferta, até mesmo falta de observação de critérios legais, denúncias de falta de corpo docente adequado e de proposta curricular que não vem sendo cumprida.

Notas baixas

Os resultados mostraram que 278 instituições de ensino superior tiveram avaliações abaixo da média de desempenho geral das instituições avaliadas em todo o país e que um a cada dez cursos também obteve “conceitos baixos”.

Cursos e instituições que reiteradamente obtêm “notas baixas” recebem a visita do MEC e têm que elaborar um documento com compromissos de melhoria.

Eles têm um prazo para que essas melhorias sejam feitas e aferidas. Caso não consigam ofertar a qualidade exigida pelo MEC, em última instância cursos e instituições podem ser fechados.

Em 2018, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), foram feitas 6,5 mil avaliações nas instituições. As 200 visitas especiais serão feitas para além das já protocolares.  (Agência Brasil)


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 2/01/2019

Brasileiro quer juntar dinheiro para pagar dívidas, diz pesquisa

 

Pesquisa divulgada nesta quarta-feira (2 de janeiro de 2019) pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que as principais metas financeiras do brasileiro para 2019 são juntar dinheiro para pagar dívidas.

Segundo a pesquisa, 51% do total dos entrevistados pretende juntar dinheiro em 2019 e "sair do vermelho". Sete em cada dez entrevistados (72%) dizem estar otimistas com a economia neste ano e que a vida financeira será melhor, enquanto 8% do total revela pessimismo, dizendo que a economia vai piorar.

“À medida que o novo governo anuncia seus projetos para o país, aumenta o clima de otimismo com a retomada da economia, que deve começar a ser percebido a partir do segundo semestre”, disse José César da Costa, presidente da CNDL.

Entre os otimistas, as perspectivas para este ano são manter os pagamentos das contas em dia (69%), fazer reserva financeira (59%) e realizar algum sonho de consumo (57%).

Foram entrevistadas 702 pessoas, entre os dias 27 de novembro e 10 de dezembro de 2018, de ambos os sexos e acima de 18 anos, de todas as classes sociais, em todas as regiões brasileiras.

Crise

Seis em cada dez entrevistados (58%) acreditam que os efeitos da crise terão impacto ainda neste ano. Para evitar o impacto dela no cotidiano, os entrevistados dizem que pretendem organizar ou controlar mais as contas da casa (51%), pesquisar mais os preços (50%), aumentar a renda com trabalho extra e bicos (44%) e evitar o uso do cartão de crédito (44%).

Temores

Entre os principais temores para este novo ano foram citados: não conseguir pagar as contas (61%), não guardar dinheiro (45%), abrir mão de determinados confortos no dia a dia (34%), não obter um emprego (28%) e perder o emprego (20%).

“Apesar de os brasileiros continuarem sentindo os efeitos da crise, a possibilidade de crescimento da economia impõe novos desafios para o sucesso de projetos pessoais, que passará pela capacidade de o consumidor controlar o orçamento, planejar e poupar”, disse Roque Pellizzaro Junior, presidente do SPC Brasil. (Fonte: Agência Brasil)



PAGINAS :
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
42
43
44
45
46
47
48
49
50
51
52
53
54
55
56
57
58
59
60
61
62
63
64
65
66
67
68
69
70
71
72
73
74
75
76
77
78
79
80
81
82
83
84
85
86
87
88
89
90
91
92
93
94
95
96
97
98
99
100
101
102
103
104
105
106
107
108
109
110
111
112
113
114
115
116
117
118
119
120
121
122
123
124
125
126
127
128
129
130
131
132
133
134
135
136
137
138
139
140
141
142
143
144
145
146
147
148
149
150
151
152
153
154
155
156
157
158
159
160
161
162
163
164
165
166
167
168
169
170
171
172
173
174
175
176
177
178
179
180
181
182
183
184
185
186
187
188
189
190
191
192
193
 
CLIQUE PARA AMPLIAR

VICENTE PAULINO
ELZA TARTAGLIA
SEBASTIÃO ATHAYDE
MARIA BURI DE OLIVEIRA
BENEDITO IZIDORO
JOSÉ SALIN
SÍLVIA CRISTINA REIS DE REZENDE
GERALDO VICENTE
RODOVALHO CARRARA
JOAQUINA DE OLIVEIRA MARTINS

CLIQUE PARA AMPLIAR