#

  :: Pagina Inicial
  :: Acesso Email
  :: Histórico
  :: Notícias
  :: Videos YOUTUBE
  :: Contato
  :: CONSULTA DE CEP
  :: CONSULTA DE CNH
  :: CONSULTA DE CPF
  :: DETRAN IPVA / MULTAS
  :: HORÓSCOPO
  :: LOTERIAS
 
CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 20/07/2018

Brasil fecha em junho 661 vagas de emprego com carteira assinada

 

A economia brasileira fechou, em junho deste ano, 661 vagas de emprego com carteira assinada, segundo números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na sexta-feira (20) pelo Ministério do Trabalho. Esse foi o primeiro resultado negativo para um mês em 2018.

Quando o país cria vagas de trabalho em um determinado período, significa que as contratações superaram as demissões. Já quando fecha vagas, significa que as demissões superaram as contratações. Em junho, foram registradas 1.167.531 contratações e 1.168.192 desligamentos.

Em junho do ano passado o país havia gerado 9.821 postos de emprego formal e, em junho de 2016, haviam sido fechadas 91.032 vagas, segundo dados sem ajuste, ou seja, sem contar as declarações feitas fora do prazo.

 

No ano

 No acumulado do primeiro semestre do ano, o Brasil gerou 392.461 empregos com carteira assinada.

Já nos últimos doze meses, segundo o Ministério do Trabalho, foi registrada a criação de 280.093 postos de trabalho formais.

Em todo o ano de 2017, a economia brasileira fechou 20.832 postos de trabalho formais. Foi o terceiro ano seguido em que houve mais demissões do que contratações no país. Entre 2015 e 2017, o país fechou um total de 2,88 milhões de postos.

Setores

Os números do governo revelam que, em junho, houve abertura de vagas em apenas três dos oito setores da economia. O comércio foi o setor que mais perdeu postos de trabalho: no mês passado foram fechadas 20.971 vagas de emprego formal.

Já a agropecuária abriu 40.917 postos de trabalho formal, com destaque para o cultivo de café, que gerou 14.024 postos de trabalho.

O setor de comércio e a produção industrial foram uns dos setores mais afetados pela greve dos caminhoneiros no final de maio. Em maio, a produção industrial despencou 10,9% e as vendas no comércio recuaram 0,6%.

Salário médio de admissão

O Ministério do Trabalho também informou que o salário médio de admissão foi de R$ 1.534,69 em junho. Em termos reais (após a correção pela inflação), houve queda de 0,79%, ou R$ 12,26, no salário de admissão na comparação com maio deste ano.

Em relação a junho de 2017, registrou-se ganho real de R$ 23,49 (1,55%) para o salário médio de admissão, acrescentou o Ministério do Trabalho. (Fonte: Portal G1)


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 20/07/2018

Brasil tem 839 mortes por gripe em 2018

 

O Brasil registrou em 2018 aumento de 194,4% no número de mortes por gripe em relação ao mesmo período de 2017: foram 839 mortes por influenza esse ano, contra 285 mortes no ano anterior. Ambos os períodos consideram dados contabilizados pela Secretaria de Vigilância do Ministério da Saúde até a segunda quinzena de julho.

O número de mortes vai na esteira do aumento do número de casos em 2018. No total, foram 4.680 infecções em todo o país até 16 de julho, contra 1.782 em 2017.

Além dos números, uma diferença entre os dois anos pode ser observada nos tipos e subtipos de vírus que estão sendo a causa das infecções: em 2018, a maioria dos casos (60%) foi provocada pelo subtipo H1N1 do vírus influenza; já em 2017, a maior parte dos casos (73,7%) foi provocada pelo influenza A (H3N2).

O vírus influenza é dividido em tipos, subtipos e linhagens. Todas essas variações correspondem a diferenças encontradas no material genético do vírus. O influenza também sofre mutações muito frequentemente; por isso, a vacina é atualizada todos os anos com novos vírus.

Além da temporada, três fatores podem contribuir para um maior número de mortes: uma mutação grande do vírus, a não imunização da população mais vulnerável, e o tratamento tardio, que geralmente começa a ser feito após quatro ou cinco dias de infecção no Brasil. Após esse período, o tratamento vai ter baixa efetividade. (Fonte: Portal G1)

 


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 17/07/2018

Pagamento da primeira parcela do 13º começa em agosto

 

 

Aposentados e pensionistas em todo o país começarão a receber, a partir de agosto, a antecipação da primeira parcela do abono anual, conhecido como 13º salário. O depósito da gratificação será realizado na folha mensal de pagamentos do INSS, entre os dias 27 de agosto e 10 de setembro, conforme a Tabela de Pagamentos de Benefícios 2018.

Terão direito à primeira parcela do abono anual 30 milhões de benefícios. Estima-se que a antecipação irá injetar na economia aproximadamente R$ 20,6 bilhões, nos meses de agosto e setembro. A primeira parcela corresponde a 50% do valor do 13º.

Não haverá desconto de Imposto de Renda (IR) nessa primeira metade do abono. De acordo com a legislação, o IR sobre o 13º somente será cobrado em novembro e dezembro, quando for paga a segunda parcela.

Aposentados e pensionistas, em sua maioria, receberão 50% do valor do benefício. A exceção é para quem passou a receber o benefício depois de janeiro de 2018. Nesse caso, o valor será calculado proporcionalmente.

Quem recebe – Por lei, tem direito ao 13º quem, durante o ano, recebeu benefício previdenciário de aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão ou salário-maternidade. No caso de auxílio-doença e salário-maternidade, o valor do abono anual será proporcional ao período recebido.

Aqueles que recebem benefícios assistenciais (Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social – BPC/LOAS e Renda Mensal Vitalícia – RMV) não têm direito ao abono anual.  (Fonte: INSS)

 


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 16/07/2018

Poupança Caixa totaliza 76,8 milhões de contas

 

A CAIXA chegou à marca de 76,8 milhões de contas Poupança em junho de 2018, um crescimento de 6,57% em relação ao mesmo período do ano passado. Nesse mês, a captação líquida do produto foi de R$ 1,2 bilhão, o melhor resultado deste ano.

O vice-presidente de Produtos de Varejo da CAIXA, Fábio Lenza, atribui o aumento no número de contas e a captação positiva à grande tradição da poupança da CAIXA e à solidez do banco, aliadas à boa rentabilidade oferecida.

"Com a taxa básica de juro em 6,5% a.a., a poupança da CAIXA vem competindo de forma positiva com os demais investimentos e atraindo cada vez mais poupadores", comentou.

Considerando a aplicação de R$ 10 mil em poupança, CDB ou Fundo de Renda Fixa, por exemplo, a maior rentabilidade líquida em 30 dias é da poupança, 14,5% a mais que o CDB e 8% a mais que o Fundo de Renda Fixa, conforme parâmetros médios de mercado para aplicação neste valor. (Fonte; CEF)


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 13/07/2018

Dia Nacional do Homem: manter cuidados ao longo do ano pode salvar vidas

No dia 15 de julho é celebrado o Dia Nacional do Homem e a data tem como objetivo intensificar as orientações sobre a realização de exames preventivos e estimular o cuidado com a saúde ao longo do ano. De acordo com o Ministério da Saúde (MS), os homens não costumam procurar os serviços de saúde e, entre as principais causas de morbidade da população masculina, estão problemas nos aparelhos digestivo e circulatório, doenças infecciosas e parasitárias. Dados do MS revelam que 68% das mortes de pessoas entre 20 e 59 anos são de homens.

Para prevenir esses problemas, o cardiologista José Pedro Jorge Filho recomenda que os pacientes façam consultas regulares a seu médico de referência. José Pedro conta que a idade mínima do acompanhamento médico foi reduzida para se adequar à nova realidade da população, que tem apresentado doenças crônicas cada vez mais cedo. “Devido a incidência de problemas em pessoas abaixo de 40 anos, já temos indicado para nossos pacientes que eles façam o controle a partir dos 35. Assim, é possível identificar e monitorar problemas como hipertensão, diabetes e obesidade”, afirma.

Também é fundamental que o paciente reavalie hábitos de vida. “A adoção de uma alimentação saudável e a prática de atividades físicas regulares interferem positivamente na saúde. Além disso, evitar hábitos ruins, como o tabagismo, também é importante. Alguns estudos já associam uma incidência maior de câncer de bexiga entre fumantes, mesmo que não exista uma relação direta entre as duas coisas”, informa.

O médico também completa que é importante encontrar um profissional que inspire confiança, para que exista um acompanhamento do quadro clínico do paciente ao longo dos anos. “É fundamental que a pessoa tenha uma boa relação com um médico, para que ele consiga entender o histórico do paciente e fazer com que o acompanhamento e o possível tratamento sejam mais individualizados”, recomenda José Pedro. Conforme orientação do Ministério da Saúde, é importante procurar acompanhamento médico não apenas quando estiver com uma doença, mas para se prevenir. (Fonte: Rede Comunicação de Resultado)

 
 

 


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 10/07/2018

Escorpiões passam a matar mais que cobras no Brasil

 

Responsável por 184 mortes no Brasil em 2017, o escorpião ultrapassou as serpentes no topo do ranking de animais peçonhentos que mais matam no Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde. No mesmo ano, foram registrados 105 casos de morte por veneno de cobra.

De 2013 para cá, aumentou em 163% o número de óbitos causados por esse artrópode; naquele ano, eram apenas 70. A proporção no aumento das mortes é muito maior do que a dos casos notificados de escorpionismo, ou seja, situações em que o escorpião injeta veneno em uma pessoa através do ferrão, sem necessariamente levá-la à morte. Eles somaram 125.156 no ano passado, diante de 78.363 em 2013, um aumento de quase 60%.

Os estados de São Paulo e Minas Gerais exibem a situação mais alarmante nas tabelas do Ministério da Saúde. Ambos registraram, respectivamente, 26 e 22 mortes por picada de escorpião em 2017. (Fonte: Portal G1)

 

 


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 5/07/2018

CEF DISPONIBILIZA SERVIÇO DE SMS AOS TRABALHADORES VINCULADOS AO FGTS

 

O SMS FGTS é um serviço de emissão de mensagens SMS, com informações sobre as movimentações financeiras comandadas na conta vinculada FGTS, do trabalhador, referente ao vínculo empregatício ainda vigente. Com a adesão ao SMS FGTS o trabalhador recebe no seu telefone informações sobre as movimentações financeiras na sua conta vinculada FGTS, como valor do depósito mensal feito pelo empregador, saldo atualizado com juro e atualizações monetárias e liberação de saque e acertos financeiros na conta. Ao acompanhar a regularidade do recolhimento do FGTS, o trabalhador também é estimulado a atuar como fiscal da sua conta vinculada. Além disso, com a adesão ao serviço, o trabalhador deixa de receber o extrato bimestral papel, contribuindo para a racionalização do uso de recursos naturais e preservação do meio ambiente. A adesão ao serviço SMS FGTS pode ser feita pelo telefone Caixa Cidadão (0800 726 0207), pelo Serviço FGTS disponibilizado no site da Caixa (www.caixa.gov.br/fgts), pelo aplicativo APP FGTS ou em uma das agências Caixa, mediante informação do NIS (Número de Informação Social PIS/PASEP) e senha internet, se a solicitação for feita via web ou pelo APP FGTS. O NIS pode ser obtido no extrato do FGTS, na carteira de trabalho, no cartão do cidadão junto ao empregador ou em uma agência da CAIXA. A senha internet pode ser obtida no site www.caixa.gov.br/extrato-fgts clicando no botão Cadastrar Senha ou pelo APP FGTS, clicando em “Primeiro Acesso”. Para cadastrar a senha internet, você precisará da senha do cartão cidadão ou informar seus dados pessoais para identificação positiva. Vale ressaltar que na página Serviço FGTS, disponibilizado no site da Caixa (www.caixa.gov.br/fgts), o trabalhador encontrará na aba “Cadastro no site” um passo a passo completo para cadastrar a senha internet. O envio de mensagens com informações do FGTS é gratuito, conforme prevê legislação específica. A alteração do número do celular após adesão ao serviço SMS FGTS pode ser feita pelos mesmos canais de adesão, ou seja, pelo telefone Caixa Cidadão (0800 726 0207), pelo Serviço FGTS disponibilizado no site da Caixa (www.caixa.gov.br/fgts), pelo aplicativo APP FGTS ou em uma das agências da Caixa. O cancelamento do serviço SMS FGTS pode ser feito pelo trabalhador a qualquer momento, utilizando os mesmos canais de atendimento da adesão.

 

Possibilidades de saque do FGTS:

 

1. Demissão sem justa causa 2. Término do contrato por prazo determinado 3. Rescisão do contrato por extinção da empresa, supressão de parte de suas atividades, fechamento de estabelecimentos, falecimento do empregador individual ou decretação de nulidade do contrato de trabalho 4. Rescisão do contrato por culpa recíproca ou força maior 5. Aposentadoria 6. Necessidade pessoal, urgente e grave, decorrente de desastre natural causado por chuvas ou inundações que tenham atingido a área de residência do trabalhador, quando a situação de emergência ou o estado de calamidade pública for assim reconhecido, por meio de portaria do Governo Federal 7. Suspensão do Trabalho Avulso 8. Falecimento do trabalhador 9. Idade igual ou superior a 70 anos 10. Portador de HIV - SIDA/AIDS (trabalhador ou dependente) 11. Neoplasia maligna (trabalhador ou dependente) 12. Estágio terminal em decorrência de doença grave (trabalhador ou dependente) 13. Permanência do trabalhador titular da conta vinculada por três anos ininterruptos fora do regime do FGTS, com afastamento a partir de 14/07/1990 14. Permanência da conta vinculada por três anos ininterruptos sem crédito de depósitos, cujo afastamento do trabalhador tenha ocorrido até 13/07/1990, inclusive 15. Aquisição de casa própria, liquidação ou amortização de dívida ou pagamento de parte das prestações de financiamento habitacional. (Fonte: CEF)

 

 


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 2/07/2018

Começam a valer novas regras para o cheque especial

 

Desde domingo (1), estão em vigor novas regras para o cheque especial. A mudança foi anunciada pela Febraban em abril.

Agora, os bancos são obrigados a oferecer linhas mais vantajosas de crédito para clientes que comprometam mais de 15% do limite do cheque especial por mais de 30 dias consecutivos. Caso o devedor opte por continuar usando a modalidade, os bancos devem apresentar alternativas com juros menores a cada 30 dias.

Orientado para gastos emergenciais, o cheque especial é a modalidade mais cara de crédito existente no Brasil. Sua taxa de juro, que atingiu 311,9% ao ano em maio, supera hoje até mesmo rotativo do cartão de crédito, que chegou a 303,6% ao ano no mesmo período.

Segundo a Febraban, as novas regras de autorregulação incluem determinações aos bancos sobre transparência, orientação e comunicação com o consumidor, especialmente no que diz respeito às características do produto que o tornam apropriado apenas para emergências.

Quando o consumidor entrar no cheque especial, por exemplo, o banco deverá comunicar-lhe imediatamente, por meio de alerta, que se trata de uma modalidade de crédito de uso temporário. O valor do limite de crédito do cheque especial disponível para utilização deverá ser informado nos extratos de forma clara e apartada de modo a não ser confundido com valores mantidos em depósito pelo consumidor na conta corrente.

Para o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), as mudanças são tímidas e não eliminam os riscos do produto. “A medida é educativa, mas não resolve o problema da oferta e do risco na utilização e também na proposta de refinanciamento do saldo, o que poderá resultar em parcelamentos múltiplos e frequentes de saldos”, diz a economista do Idec, Ione Amorim, à época do anúncio da medida. (Veja On-Line)


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 2/07/2018

Nível socioeconômico das cidades brasileiras retrocedeu três anos com a crise

 

A crise econômica, que teve início em 2014 e causou forte recessão no país, fez com que o nível socioeconômico das cidades brasileiras retrocedesse três anos. É o que aponta o Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (IFDM), divulgado pelo Sistema FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) com base em dados oficiais de 2016, últimos disponíveis. De acordo com o estudo, na comparação com 2015, as áreas de Educação e Saúde tiveram o menor avanço da última década e não compensaram as perdas do mercado de trabalho nos últimos anos. Assim, nesta edição o IFDM Brasil atingiu 0,6678 ponto – abaixo do nível observado em 2013.

O índice monitora todas as cidades brasileiras e a avaliação varia de 0 a 1, sendo que quanto mais próximo de 1 maior o seu desenvolvimento. Cada uma delas é classificada em uma das quatro categorias do estudo: baixo desenvolvimento (de 0 a 0,4), desenvolvimento regular (0,4 a 0,6), desenvolvimento moderado (de 0,6 a 0,8) e alto desenvolvimento (0,8 a 1).  São acompanhadas as áreas de Emprego e Renda, Saúde e Educação e avaliadas conquistas e desafios socioeconômicos de competência municipal: manutenção de ambiente de negócios propício à geração local de emprego e renda, educação infantil e fundamental, e atenção básica em saúde.

Na análise da área de Emprego e Renda, o IFDM destaca que, entre 2015 e 2016, foram fechados quase 3 milhões de postos de trabalho formais no país. Em 2016, apenas 2.254 cidades geraram empregos, ou seja, quase 60% fecharam postos de trabalho, incluindo capitais e grandes centros econômicos. Com isso, o indicador de Emprego e Renda do estudo registrou 0,4664 ponto, representando pequena recuperação com relação a 2015 (0,4336). O movimento é explicado pelo aumento no rendimento real do trabalhador formal, em parte por conta da política de reajuste do salário mínimo.

Porém, o resultado continua em nível historicamente baixo. O número de cidades que alcançaram alto desenvolvimento nesse indicador, por exemplo, foi de apenas cinco - São Bento do Norte (RN), Capanema (PR), Telêmaco Borba (PR), Selvíria (MS) e Cristalina (GO) - o pior resultado da série histórica. O estudo destaca que a crise foi tão severa que mesmo que o IFDM Emprego e Renda cresça nos próximos anos com variação média de 1,5% - taxa média do indicador entre 2009 e 2012 – o país só alcançará o nível de 2013 em 2027, o que aponta que a recessão custou mais de uma década de desenvolvimento para o mercado de trabalho formal dos municípios.

 

Nesta edição do IFDM foram avaliados 5.471 municípios, onde vive 99,5% da população brasileira. As novas cidades, para as quais ainda não existem dados, e aquelas com ausência, insuficiência ou inconsistência de informações, não fazem parte do estudo. No resultado geral, que inclui a média das notas dos três indicadores (Emprego e Renda, Saúde e Educação) foram observados apenas 431 municípios (7,9%) com alto desenvolvimento.

O estudo também revela que o país continua com enormes disparidades regionais: o Sul é a região mais desenvolvida, tendo 98,8% de cidades com desenvolvimento alto ou moderado. O Sudeste e o Centro-Oeste possuem perfil semelhante. Já as regiões Norte e Nordeste têm, respectivamente, 60,2% e 50,1% dos municípios com desenvolvimento regular ou baixo. Entre todas as cidades avaliadas, Louveira, em São Paulo, conquistou 0,9006 ponto e é a mais desenvolvida do país. Florianópolis, com 0,8584, ocupa o primeiro lugar entre as capitais. No último lugar do ranking, com 0,3214, está o município de Ipixuna, no Amazonas. (Fonte: Firjan)

 


CLIQUES: 0 - DATA CADASTRO: 29/06/2018

Estudantes de escolas estaduais podem conferir notas do 1º semestre no boletim on-line da Educação

 

As notas do 1º semestre dos alunos da rede estadual de São Paulo estão disponíveis para consulta na Secretaria Escolar Digital – SED. No Portal da Educação (www.educacao.sp.gov.br) há um link exclusivo para a plataforma. No espaço, é possível checar o rendimento e faltas, por bimestre, de todos os matriculados no Ensino Fundamental (Anos Iniciais e Finais), Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Para acessar a página, basta informar o ano letivo, registro do aluno (RA) e data de nascimento. Com base nessas informações, o sistema indicará a escola e classe. Após este processo, é preciso preencher o código da figura e clicar em “pesquisar”. O Boletim gerado poderá ser visualizado e exportado para PDF. O preenchimento dos dados é de responsabilidade de cada unidade e, por isso, os prazos para divulgação podem variar.

A Secretaria Escolar Digital reúne dados desde ano letivo de 2014. Em caso de dúvidas sobre o número de registro do aluno, a orientação é procurar a unidade mais próxima. Além da versão on-ine, as escolas distribuem ao final de caba bimestre o boletim impresso.

Matrículas e transferências

         Ao longo de julho, as escolas recebem matrículas de novos alunos interessados em ingressar na rede estadual. Para fazer o cadastro, basta se dirigir à unidade de ensino mais próxima e preencher o formulário. É indicada a apresentação de documento de identidade (certidão de nascimento e RG) e comprovante de residência. No caso de alunos menores de idade, o cadastro deve ser feito por pais ou responsáveis. (Fonte: Secretaria Estadual de Educação)

 

 



PAGINAS :
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
42
43
44
45
46
47
48
49
50
51
52
53
54
55
56
57
58
59
60
61
62
63
64
65
66
67
68
69
70
71
72
73
74
75
76
77
78
79
80
81
82
83
84
85
86
87
88
89
90
91
92
93
94
95
96
97
98
99
100
101
102
103
104
105
106
107
108
109
110
111
112
113
114
115
116
117
118
119
120
121
122
123
124
125
126
127
128
129
130
131
132
133
134
135
136
137
138
139
140
141
142
143
144
145
146
147
148
149
150
151
152
153
154
155
156
157
158
159
160
161
162
163
164
165
166
167
168
169
170
171
172
173
174
175
176
177
178
179
180
181
182
183
184
 
CLIQUE PARA AMPLIAR

JOSÉ GUILHERME
DURVALINO MOREIRA
MARIA APARECIDA FANTON MARQUES
NELSON ZAMPIERI FILHO
MANOEL RIBEIRO SILVA
IRIA DONIZETI CIPRIANO TEIXEIRA
JOSUÉ RODRIGUES SULATO
JOÃO NOGUEIRA CASTRO JÚNIOR
JOSÉ PASSARELI
VALTER MASSONI

CLIQUE PARA AMPLIAR